26 de fev de 2014

O que significa ter fé!



Hoje nós estamos vivenciando um movimento muito interessante dentro das nossas igrejas (quando digo igrejas envolvo todas as denominações cristãs), onde vemos um “avivamento” espiritual pairando no ar. Grande parte dos irmãos dizem que tiveram a sua “fé” aumentada, outros dizem que tiveram a confirmação de sua “fé” depois que receberam alguma bênção. Isso é maravilhoso pois as pessoas estão se achegando a casa de Deus, mas será que realmente elas estão vivenciando a fé, ou melhor, será que elas realmente tem fé?

É muito complicado falar sobre esse tema, pois a fé algo pessoal, e a própria Bíblia diz que a “... a fé não é de todos.” 2 Tessalonicenses 3:2b. Partindo do princípio que nem todos teriam fé, como podemos determinar quem tem fé?

Primeiramente vamos ver o que as escrituras dizem sobre a fé. O escritor do livro de Hebreus conseguiu exprimir de forma magistral esse tema. Vamos analisar alguns versículos de seu texto descrito no capítulo 11. (Todas as citações foram tiradas da tradução bíblica NVI – Nova Versão Internacional)

Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos.” - Hebreus 11:1

Como bem descrito acima, a fé consiste em uma certeza, em uma esperança concreta em algo, embora não visto, não observado. Ou seja, a fé é movida pela a crença. Todos nós cremos que existe ao nosso redor, o ar, que nos possibilita vivermos, embora não possamos vê-lo nós o sentimos, o mesmo ocorre com o átomo, esse durante muitos séculos foi descrito como sendo a menor partícula do universo, e hoje sabemos que ele ainda é subdividido, e mesmo assim nós não o vemos, mas aceitamos que ele existe. O mesmo ocorre com a fé em Deus. Embora nós não possamos vê-lo, nós o vivenciamos, através de nossas experiências, não é necessário se apresentar um milagre, ou show pirotécnico nos céus, para que nós acreditemos em Deus, não, nós apenas acreditamos. O que hoje ocorre é que grande parte dos crentes só acreditam vendo, são como Tomé que disse:

"Se eu não vir as marcas dos pregos nas suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no seu lado, não crerei". – João 20:25

A fé é algo trabalhado, forjado não vem de uma ora para outra. Quando vem em minha cabeça o tema fé, eu me recordo de um filme chamado Indiana Jones e a Ultima Cruzada (quem tem mais de 25 anos deve lembrar desse filme) – nesse filme o Pai de Jones está durante muitos anos em busca do Santo Graal (o cálice de Cristo) e em seus estudos ele conseguiu pistas para encontra-lo, quando eles estão no local onde supostamente o Graal se encontra, os nazistas obrigam o Indiana Jones a entrar no local, ele vai com as anotações de seu pai. A primeira anotação dizia: O homem penitente passará... nesse momento ele têm um lapso e diz: “O homem penitente se ajoelha diante de Deus” – isso faz com que ele passe pela a armadilha que iria decapitá-lo. A segunda prova dizia: “O nome de Deus”, então ele tinha que pisar nas letras correspondentes ao nove de Deus, porém, ele começa errado, pisando na letra em inglês, quando na verdade deveria ser a latina – IAVE, mas ele consegue passar. A terceira prova (e é a que têm relevância no nosso estudo) dizia, “um ato de FÉ”; nas anotações de seu pai mostrava um homem andando em meio ao vazio, Jones ao se deparar com o local, ele vê um grande precipício, e do outro lado uma passagem aberta na rocha. Ele procura uma forma de passar, mas ele não encontra, então ele munido das informações da caderneta de seu pai, ele lembra: “Um ato de Fé”, então ele tomou coragem e fé e deu um salto ao vazio, para dentro do precipício, nesse exato momento ele pisa em algo firme, que na verdade era uma ponte, que havia sido pintada com as formas do precipício criando uma ilusão de óptica, não permitindo vê-la, pois se confundia com o ambiente. Após isso ele completa a sua missão. Por que eu citei esse filme? Por que ele conseguiu ao meu ver exprimir o que realmente é a fé. Fé é dar um passo no vazio, acreditando que Deus irá te sustentar! E foi exatamente isso que o Livro de Hebreus nos diz a seguir:

2 Pois foi por meio dela que os antigos receberam bom testemunho.  
3 Pela fé entendemos que o universo foi formado pela palavra de Deus, de modo que o que se vê não foi feito do que é visível.
4 Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício superior ao de Caim. Pela fé ele foi reconhecido como justo, quando Deus aprovou as suas ofertas. Embora esteja morto, por meio da fé ainda fala.   
5 Pela fé Enoque foi arrebatado, de modo que não experimentou a morte; "ele já não foi encontrado porque Deus o havia arrebatado", pois antes de ser arrebatado recebeu testemunho de que tinha agradado a Deus.
6 Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam.
7 Pela fé Noé, quando avisado a respeito de coisas que ainda não se viam, movido por santo temor, construiu uma arca para salvar sua família. Por meio da fé ele condenou o mundo e tornou-se herdeiro da justiça que é segundo a fé.
8 Pela fé Abraão, quando chamado, obedeceu e dirigiu-se a um lugar que mais tarde receberia como herança, embora não soubesse para onde estava indo.
9 Pela fé peregrinou na terra prometida como se estivesse em terra estranha; viveu em tendas, bem como Isaque e Jacó, co-herdeiros da mesma promessa.
10 Pois ele esperava a cidade que tem alicerces, cujo arquiteto e edificador é Deus.
11 Pela fé, Abraão — e também a própria Sara, apesar de estéril e avançada em idade — recebeu poder para gerar um filho, porque considerou fiel aquele que lhe havia feito a promessa.
12 Assim, daquele homem já sem vitalidade originaram-se descendentes tão numerosos como as estrelas do céu e tão incontáveis como a areia da praia do mar.
13 Todos estes ainda viveram pela fé, e morreram sem receber o que tinha sido prometido; viram-nas de longe e de longe as saudaram, reconhecendo que eram estrangeiros e peregrinos na terra.
14 Os que assim falam mostram que estão buscando uma pátria.
15 Se estivessem pensando naquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. 16 Em vez disso, esperavam eles uma pátria melhor, isto é, a pátria celestial. Por essa razão Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles, pois preparou-lhes uma cidade.
17 Pela fé Abraão, quando Deus o pôs à prova, ofereceu Isaque como sacrifício. Aquele que havia recebido as promessas estava a ponto de sacrificar o seu único filho,
18 embora Deus lhe tivesse dito: "Por meio de Isaque a sua descendência será considerada".
19 Abraão levou em conta que Deus pode ressuscitar os mortos; e, figuradamente, recebeu Isaque de volta dentre os mortos.

Aqui nós vemos uma lista de vários personagens que foram justificados pela a fé. Começamos por Abel, que pela a “fé” depositou uma oferta agradável aos olhos de Deus, não esperando algo em troca, mas apenas como reconhecimento da soberania de Deus. Depois temos Enoque, que pela a “fé” pregou destemidamente aos homens, em uma sociedade caída diante de Deus, ele não pregou procurando uma recompensa, mas por que ele temia a Deus – e isso foi imputado como justiça e ele foi arrebatado para não ver a morte. Temos a vida de Noé, que nunca havia presenciado uma chuva, muito menos uma inundação, mas pela a “fé” ele construiu uma arca, proclamou as advertências de Deus contra a aquela nação, e fez tudo que Deus lhe ordenara, e com isso ele pôde salvar a vida dele e de seus parentes próximos. E temos o relato de Abraão.
Deus chegou para Abrão e ordenou que ele saísse de sua terra e fosse para uma outra terra (ele não objetou – ele foi). Deus ordenou que Abrão não fixasse residência, mas que vivessem em tendas (ele não objetou – fez). Deus lhe prometeu um descendente um filho por meio de Sarai sua esposa, mas eles já tinha passado da idade de ter filhos a pelo menos 40 anos! (mas ele acreditou). Deus muda o seu nome de Abrão para Abraão, indicando que ele seria pai de uma grande multidão e de Sarai, para Sara, indicando que ela seria reconhecida como uma princesa. (assim foi feito). No tempo certo veio o filho que Deus prometera, o filho da promessa, por meio do qual Abraão seria abençoado. Porém Deus pede que Abraão sacrifique o seu próprio filho!
Irmãos até esse momento em todas as ocasiões Abraão agiu de maneira diligente para com Deus, ele sempre obedeceu e acreditou, muitas vezes se privando de conforto e tranquilidade para poder viver conforme Deus lhe ordenara, mas agora Deus está pedindo algo muito maior, não é apenas mudar de nome ou se privar de regalias, não, ele está pedindo para que ele entregue o seu filho amado, o seu herdeiro, herdeiro que Deus prometera em Gênesis 12 e 22. O que nós faríamos em seu lugar? O relato diz que ele estava disposto a fazer o sacrifício, mesmo sabendo das promessas, pois tinha “fé” que Deus poderia trazê-lo “de volta dentre os mortos” (versículo 19)

Abraão acreditou completamente em Deus! Lembre-se: Abraão era de Ur dos caldeus, uma cidade politeísta, mas pela a “fé” ele escutou a palavra de Deus. Ur era o centro comercial da Babilônia na sua época, imagine como os seus amigos devem ter escarnecido dele quando souberam que ele iria largar as regalias e confortos da vida urbana, para viver em tendas no deserto, só por que ele escutou “uma voz”, de “um suposto Deus”, que o mandou fazer isso. Mas ele obedeceu sem questionar, sem nenhuma obra milagrosa, ou show pirotécnico, não, apenas pela a fé! E essa atitude foi tomada em todos os momentos de sua vida, até culminar na oferta sacrificial de Isaque, esse homem tinha um relacionamento tão íntimo com Deus, que pare ele a confiança era maior que o temor, pois ele conhecia o poder de Deus.

Irmãos, hoje o que nos falta é comunhão, conhecimento e relacionamento com Deus. Eu sempre escutei que existe amor à primeira vista..., mas isso se mostra incoerente, pois para haver amor é necessário haver um relacionamento, ou seja, para amar alguém, primeiro temos que conhece-la, depois com o passar do tempo criar um vínculo, e desse vínculo virá o AMOR. O que acontece é que as pessoas confundem paixão/desejo à primeira vista, com amor. O desejo é flamejante, intenso, mas se não for trabalhado logo se extingue, diferente do amor que quanto mais lapidado mais forte fica. Muitas pessoas dizem que têm “fé” em Deus, mas não o conhecem verdadeiramente. Todos nós devemos cultivar o nosso relacionamento com Deus, o que falta hoje na maioria das igrejas é a falta de estudo das escrituras sagradas. Grande parte do povo se acostumou a escutar sermões onde apenas o Pastor/Bispo/Diácono/Presbítero/Obreiro fala ou cita as passagens bíblicas, e não se preocupam em lê-las, eles acreditam e creditam toda a confiança nos seus líderes, e assim acabam atrofiando os seus membros espirituais. Nós devemos ser como os Bereanos – “...eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo.” – Atos 17:11.

Esses irmão após receberem as mensagens dos Apóstolos, examinavam as escrituras (fazendo um estudo) para comprovar se era realmente assim o que eles diziam, e isso foi elogiado pelos os Apóstolos na Igreja Primitiva.

Muitos dizem que buscam cultivar os seus Dons Espirituais... mas Dom significa “presente”, ou seja, é algo que lhe é dado em certas circunstâncias, e com propósitos específicos, porém nem todos possuem Dons Espirituais (como falar em línguas, profetizar, cura e etc...), porém o nosso senhor Jesus disse que nós somos como árvores, e toda a árvore que não produz frutos excelentes é cortada e lançada no fogo (Mateus 7:19) Nós devemos ser árvores que produzam frutos excelentes (Mateus 7:17), pois pelos os nossos frutos é que seremos reconhecidos diante de Deus - como boa o imprestável (Mateus 7:16).  Em Gálatas 5:22,23 o Apóstolo Paulo fala exatamente sobre esses frutos como podemos ver abaixo:

Mas o fruto do Espírito é: caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra essas coisas não há lei.

O texto é bem direto em dizer que a FÉ é um dos Frutos excelente do Espírito. Então nós (como igreja) devemos cultivar os frutos e assim frutificar, transmitindo aos outros o Evangelho de nosso Senhor, para que eles possam também serem salvos. Mas para isso temos que cultivar... Toda a planta para poder nascer e crescer saudável, precisa ser cuidada. Têm que alimentá-la com água e adubo, protege-las das intempéries, com o objetivo de ver o seu crescimento. O mesmo ocorre conosco. Para crescermos em Fé, devemos nos alimentar diariamente com as santas escrituras, temos que nos proteger das intempéries através das orações e assim dia-a-dia, iremos crescer espiritualmente. Esse crescimento vem acompanhado de comunhão com Pai. Quanto mais o buscamos, mas ele se chega a nós (Tiago 4:8).

O tema dessa mensagem é: O que significa ter Fé? Ter fé significa crer em algo, embora não o vejamos. Significa ver a atuação de Deus em tudo ao nosso redor. É conseguir enxergar com os nossos olhos espirituais. Mas para termos FÉ, é necessário estudar as escrituras, e criar um relacionamento achegado com o nosso Deus. É conseguir servir a Deus, por amor, sem buscar reconhecimento, ou bênçãos – lembre-se, nós não merecemos nada, tudo que temos é pela a Graça de nosso Senhor. Abel, Enoque, Noé, Abraão e todos os fiéis servos de nosso senhor o serviram por amor, eles não buscavam nada em troca, apenas a vindicação e o enaltecimento do nome de Deus. O mesmo deve ser hoje. Não devemos procurar as igrejas com o objetivo de melhoria financeira (a bíblia nos diz que os apóstolos viviam com as provisões básicas, eles não eram ricos materialmente falando), ou em busca de cargos eclesiásticos (Tiago 3:1 nos diz que os que são mestres/pastores terão um julgamento muito mais severo, pois têm a obrigação por transmitir verdades ao rebanho de Deus), antes devemos buscar servir a Deus com o nosso coração aberto e disposto a nos entregar por ele. Não existe barganha no que tange a FÉ, não podemos comprar a FÉ, apenas vivenciá-la.

Irmãos esse comentário não tem como objetivo ser doutrinário, foi apenas uma explanação sobre a banalização da FÉ hoje em dia, como dito no início desse comentário é complicado falar sobre FÉ, pois essa é uma experiência pessoal, mas podemos falar do que não é FÉ. Então busquem aprofundar os seus conhecimentos bíblicos, fundamentem-se nas santas escrituras, pois somente elas podem cultivar em nós os frutos do Espírito e fazer com que nós abundemos em FÉ e amor pelo o nosso Senhor Deus.


Leandro Rocha

Nenhum comentário:

Postar um comentário